Busca

/Blog Hugo Leal

janeiro, 2011


Deputado trabalha na divulgação da Cidade

segunda-feira, 31 janeiro, 2011

 Publicado em 30/01/2010

 

Clique na imagem para ampliar


Comissão que acompanha ações no RJ vai apresentar relatório no início da legislatura

sábado, 29 janeiro, 2011

 Brasília, 28/01/10 – Luiz Cláudio Canuto (link do áudio)

 

A Comissão Externa criada para acompanhar as ações realizadas no Rio de Janeiro após a tragédia provocada pela chuva na Serra Fluminense apresenta, no início da próxima legislatura, seu relatório.

O deputado Hugo Leal, do PSC do Rio de Janeiro, que integra a Comissão, informa que o colegiado reuniu dados sobre os repasses do governo federal e a real situação das localidades atingidas e aponta as prioridades, algumas delas baseadas no que foi feito em tragédias semelhantes no Nordeste e Santa Catarina.

“Então, o nosso documento é uma sugestão também de como deverão funcionar um Sistema Nacional de Defesa no momento da tragédia e no momento de recuperação econômica. Obtivemos essa informação no BNDES e no Banco do Brasil, que foi agente financiador de várias empresas que foram depois reconstituídas no Nordeste e no estado de Santa Catarina.”

Os integrantes da Comissão visitaram os municípios atingidos pelas chuvas e viram a situação das estradas vicinais usadas para o suprimento e para o escoamento de produtos nas localidades atingidas.

Outros dados importantes observados pela Comissão dizem respeito à infraestrutura interna dos municípios e ao número de famílias desalojadas e desabrigadas.

Hugo Leal afirma que o principal papel da Comissão é acompanhar a aplicação dos recursos e as ações feitas pelos governos, além das principais necessidades para a retomada da rotina desses municípios.

O segundo passo é a recomposição econômica dos municípios afetados.

Também integram a Comissão Externa os deputados Alexandre Santos, do PMDB, Otávio Leite, do PSDB, Edson Santos, do PT, e Simão Sessim, do PP, todos da bancada do Rio de Janeiro.


Comissão vai acompanhar medidas

quarta-feira, 26 janeiro, 2011
 
Publicado em 22/01/2011
 
 
Comissão vai acompanhar medidas

clique na imagem para ampliar


Hugo Leal faz parte de Comissão da Câmara para atender região serrana

quarta-feira, 26 janeiro, 2011

 Publicado em 22/01/2011



Hugo Leal faz parte de Comissão da Câmara para atender região serrana
clique na imagem para ampliar.

Deputados Critícam o veto da presidente Dilma no projeto que regulamenta o desmanche de carros

domingo, 23 janeiro, 2011

Brasília, 21/01/11 – Verônica Lima (link)

 

 

Deputados reagem a veto da presidente Dilma Rousseff a projeto de lei [PLS 372/05] que regulamentava o desmanche de veículos.

Para justificar o veto, Dilma alegou a falta de parâmetros técnicos mínimos para o comércio de peças usadas no mercado de reposição. E a falta de garantia de controle da qualidade e das condições de comercialização.

De autoria do falecido senador Romeu Tuma, o projeto determinava que a desmontagem poderia ser realizada por empresa autorizada pelo órgão de trânsito local.

O texto impunha ainda requisitos para a desmontagem de veículos alienados, leiloados como sucata ou como irrecuperáveis, ou com mais de dez anos de fabricação.

O deputado Takayama, do PSC paranaense, que foi relator da CPI Mista do Desmanche, admitiu que havia espaço para aperfeiçoar o projeto, mas se disse surpreso com o veto integral da presidente.

“É claro a presidente não tem domínio sobre todos os assuntos que nós temos, em função de termos nos debruçado sobre o assunto. É claro que ela tem milhões de assuntos a serem decididos, e, evidentemente, ela não tem conhecimento dos detalhes técnicos. (…) Eu vou tentar uma audiência com a presidente, explicando que esse procedimento não é impossível e que, na verdade, dificultaria as ações do crime organizado”.

 

O deputado Hugo Leal, do PSC fluminense, é ex-presidente do Detran do Rio de Janeiro.

Ele explicou que o projeto foi debatido, durante cinco anos, com os órgãos de trânsito e com os mercados de seguros, de reparos e de peças.

Sua maior crítica não é ao veto em si, mas ao fato de o governo não ter apresentado um texto para substituir o projeto recusado.

“Foi um texto extremamente debatido, poderia não ser o mais perfeito. E a legislação é sempre assim. Você não vai conseguir atingir a perfeição, mas, pelo menos, se tinha uma proposta. (…) Se a consultoria da Casa Civil ou das instituições que foram indagadas discordaram do texto e conduziram a presidente a vetar integralmente o texto, então, que apresentem um texto alternativo”.

Leal cita como exemplo a Argentina, que teve redução no número de roubos de veículos após regulamentar o desmanche, com regras para monitorar as peças no comércio legal.

Os dois deputados disseram que vão retomar as discussões sobre o projeto para reapresentá-lo na próxima legislatura.

Takayama e Hugo Leal acreditam que a legislação atual facilita a atuação do crime organizado.


Reunião da Comissão Representativa resulta na liberação de R$ 400 milhões para os municípios da Região Serrana.

sexta-feira, 21 janeiro, 2011

Com o objetivo de começar a reconstruir as áreas afetadas pelas fortes chuvas da semana passada, as empresas da Região Serrana do Rio serão beneficiadas pelo Programa Emergencial de Reconstrução (PER-RJ), do BNDES, que destinará R$ 400 milhões aos empreendedores. A medida irá beneficiar principalmente os micros e pequenos empresários que foram prejudicados em consequência das chuvas. Os que perderam os seus documentos, vão encontrar facilidades para a recuperação dos mesmos. A linha de crédito também será facilitada. Prevista na Medida Provisória nº 523, de 20 de janeiro de 2011, a liberação dos recursos foi aprovada após reunião da Comissão Representativa do Legislativo , que debateu sobre as ações emergencias para o desastre na Região Serrana, realizada na última quinta-feira (20).  Esta ação contou com o empenho do deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ) que durante toda a semana esteve atuando junto ao governo federal, buscando benefícios para os empreendedores da região, com o objetivo de amenizar o esvaziamento da economia local, que pode gerar o desemprego. O deputado é um dos integrantes da Comissão.

Durante o encontro, Hugo Leal defendeu a importância de políticas emergenciais na região, citando os municípios de Petrópolis, São José do Vale do Rio Preto e Areal, fortemente afetados pelas chuvas. “Nós temos que ter equilíbrio nessa discussão, ponderação, porque senão nós somos tomados por dois sentimentos. Aqui estamos sob o aspecto emergencial. Vamos separar o que são ações emergenciais, que é o foco dessa medida provisória, das políticas públicas que não acontecem nesse país


HUGO LEAL FAZ PARTE DE COMISSÃO DA CÂMARA PARA ATENDER REGIÃO SERRANA

quinta-feira, 20 janeiro, 2011

O deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ), é um dos integrantes da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que foi criada nesta quarta-feira (19), para acompanhamento dos desastres que atingiram a Região Serrana do Rio e das medidas que serão adotadas pelos órgãos públicos. Os deputados Simão Sessim (PP-RJ), Edison Santos (PT-RJ), Otávio Leite (PSDB-RJ) e Alexandre Santos (PMDB-RJ) também fazem parte da Comissão. Eles vão organizar uma agenda de trabalho para as visitas aos municípios que sofreram com as últimas chuvas.

Nesta quinta-feira (20), Hugo Leal participou da reunião da Comissão Representativa do Legislativo, ocorrida no Senado. O objetivo do encontro foi discutir as medidas emergenciais para atendimento às cidades da Região Serrana do Rio, atingidas pelas chuvas.

Na ocasião, Hugo Leal destacou os municípios de Petrópolis, São José do Vale do Rio Preto e Areal. “Estou aqui como deputado e coordenador da bancada fluminense. Tenho residência no município de Petrópolis, que foi afetado, mesmo que de forma direcionada. Também quero lembrar de outros dois municípios que pouco se fala: São José do Vale do Rio Preto e Areal. Em São José, a Prefeitura está interditada e a cidade ficou 70% embaixo d’água. Ainda existem grotões que não foram alcançados nem pela Defesa Civil. Temos o município de Areal que foi atingido e teve tempo de avisar a população


Hugo Leal Participa de Reunião no Rio com a Presidente Dilma

sexta-feira, 14 janeiro, 2011

Na reunião realizada esta tarde no Palácio Guanabara com a presidente Dilma Rousseff e o governador Sérgio Cabral, sobre as medidas a serem adotadas com as cidades da Região Serrana castigadas pelas chuvas, o deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ), único representante da Câmara presente, solicitou que sejam disponibilizadas estações móveis de tratamento de água. Ele também pediu aos governantes que os municípios de Areal, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Sapucaia e Bom Jardim, também muito castigados pelas chuvas, não sejam esquecidos e recebam apoio.

 
“A prioridade da presidente Dilma no momento é oferecer acessibilidade às pessoas. Muitas delas estão sem acesso e precisam ser resgatadas


Hugo Leal visita áreas da Região Serrana com o Ministro da Integração Nacional

quinta-feira, 13 janeiro, 2011

O deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ), veio de Brasília para o Rio de Janeiro, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. No Rio, eles embarcaram em um helicóptero para visitar áreas da Região Serrana, atingidas pelas chuvas. Na comitiva, o senador Lindberg Farias, o subsecretário de estado de Obras, Hudson Braga, e o secretário da Casa Civil do estado, Régis Fitchner.

Hoje pela manhã, Hugo Leal, coordenador da bancada fluminense esteve reunido com o ministro Fernando Bezerra, buscando viabilizar recursos emergenciais para atender as cidades serranas – Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo e cidades vizinhas –,  castigadas pelas chuvas .

“Não vou medir esforços para ajudar as cidades atingidas pelas fortes chuvas, esse é um momento de união e trabalho em equipe


Dilma Rousseff visita regiões afetadas pela chuva

quinta-feira, 13 janeiro, 2011

Após sobrevoar a região Serrana do estado do Rio arrasada pela tragédia em função das chuvas das últimas horas e de participar de reunião com o governador Sérgio Cabral, ministros e prefeitos, a presidenta Dilma Rousseff destacou, em entrevista coletiva, seus sentimentos de solidariedade às famílias que tiveram pessoas mortas. A presidenta Dilma dedicou os instantes finais da conversa com os jornalistas para “dizer da grande dor