Busca

/Blog Hugo Leal

março, 2011


Hugo Leal Participa do Programa Jogo do Poder

sábado, 19 março, 2011

Dia  20 de março, domingo às 23 horas na REDE  CNT, participação do Deputado Hugo Leal  no programa  ” JOGO DO  PODER” , apresentado  pelo Jornalista Ricardo Bruno. O programa é exibido em redes de  tv aberta  para o Rio e interior( canal 9),tv a cabo regional pela NET Rio( canal 24) e para  todo  o país pela  Sky( canal 115 ).


Petrópolis é homenageada por Hugo Leal na Câmara dos Deputados

sexta-feira, 18 março, 2011

Nesta quarta-feira, 16 de março, a cidade de Petrópolis/RJ completou 168 anos. Numa homenagem à “Cidade Imperial”, o deputado federal Hugo Leal proferiu um discurso na Câmara dos Deputados. Veja na íntegra o discurso.

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados: falar de Petrópolis é lembrar o que há de mais bonito na natureza do nosso país. Santos Dumont, Nair de Tefé, Gabriela Mistral, Stefan Zweig, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, são algumas das personalidades intelectuais e artísticas que se renderam aos encantos de Petrópolis, e lá buscaram refúgio. Assim como eles, eu também não resisti e em Petrópolis tenho residência. A cidade de Pedro, a Cidade Imperial, completa hoje 168 anos. D. Pedro II, seu fundador e grande incentivador, não abria mão de passar os verões com a família no Palácio Imperial. Dizem que sua paixão pela localidade foi amor à primeira vista. O conjunto de atrativos naturais e arquitetônicos históricos e artísticos de rara beleza; o clima ameno e a tranquilidade que ela oferece, a transformaram em um dos mais atraentes e charmosos roteiros do Estado do Rio de Janeiro.  Primeira cidade planejada das Américas, suas casas têm as fachadas frontais voltadas para os rios, em um ousado projeto do engenheiro germânico, Júlio Frederico Koeler. Instalada em meio à Mata Atlântica, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Petrópolis é um centro turístico por excelência. É a cidade da tecnologia, da cultura, da moda, da gastronomia, da educação e dos intelectuais. O legado da Cidade Imperial é o seu patrimônio cultural e natural. Seus monumentos históricos, intactos e exuberantes, continuam à disposição dos visitantes. Petrópolis hoje se recupera de um momento difícil, mas a solidariedade e a força da sua gente, driblaram as barreiras e a dor, venceram os desafios, e a cidade se reergueu.  Neste momento, convoco os petropolitanos de origem e de coração, a comemorar o aniversário de Petrópolis fazendo uma reflexão  sobre o amor que os nossos imperadores tiveram pela cidade. É um exemplo que precisa estar no coração de cada um de nós que também amamos esta terra. Petrópolis precisa ser preservada e cuidada. A mensagem da Campanha da Fraternidade deste ano, da CNBB tem como tema “Fraternidade e vida no Planeta


Monumento pichado e sem placa em praça

quinta-feira, 17 março, 2011

 Publicado em 17/03/2011

 


Hugo Leal: Uma tragédia anunciada

quarta-feira, 16 março, 2011

Publicado em 14/03/2011 – Link

Rio – Mortes e lesões provocadas pela violência no trânsito matam mais de 1,2 milhão de pessoas no mundo todos os anos. Apesar de representar uma tragédia de proporções catastróficas, com custos econômicos, sociais e emocionais incomensuráveis, esse problema não vem recebendo a atenção necessária, principalmente nos países de baixo e médio desenvolvimento que, por ironia, estão no topo do ranking das estatísticas mundiais sobre a morbimortalidade do trânsito.

Essa negligência, um quase conformismo, foi que estimulou as Nações Unidas a realizar a 1ª Conferência Mundial Ministerial para a Segurança no Trânsito, que reuniu em Moscou, em novembro de 2009, representantes de 140 países-membros da ONU.

Chefiando a delegação brasileira, também integrada por autoridades do Ministério da Saúde e dirigentes de ONGs, representávamos, junto com os demais colegas da América Latina e Caribe, a região do planeta com a mais alta taxa de mortalidade per capita no trânsito, que é de 26 mortes por 10 mil habitantes.

Estamos falando de um fenômeno trágico, recorrente, mas que pode e deve ser evitado. Para isso é preciso, acima de tudo, vontade e iniciativa política. Depois, o absoluto comprometimento da máquina pública em todas as esferas de poder e, por fim, mas não menos importante, a decidida participação da sociedade.

Uma década inteira dedicada às ações de segurança no trânsito foi a missão que cada membro de delegação presente à conferência recebeu. Mais do que assumir um compromisso político mundial, o evento representa, na prática, um sagrado pacto das autoridades com cada um de seus compatriotas.

Precisamos mudar, com urgência, as estatísticas que comprovam o elevado número de acidentes de trânsito com vítimas, como a divulgada pela Polícia Rodoviária Federal no Carnaval. Enfim, guardadas as proporções, todos nós, poder público e organizações privadas, somos culpados pela desenfreada tragédia no trânsito. Melhores resultados só serão conquistados com a união de todos, governo e sociedade.

Hugo Leal é deputado estadual pelo PSC e autor da Lei Seca


168 anos de Petrópolis

terça-feira, 15 março, 2011

 


EMENDA DE HUGO LEAL POSSIBILITA LINHA DE CRÉDITO PARA PRODUTORES RURAIS

terça-feira, 15 março, 2011

Produtores rurais e empreendedores de agronegócios atingidos pelas últimas chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro, foram incluídos na concessão de linha de créditos do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, com emenda apresentada pelo deputado Hugo Leal (PSC-RJ), incluída na Medida Provisória 526/11, alterando o artigo 1º. da MP 523/11. As MPs tratam de liberação de financiamento de créditos através do BNDES e subvenção econômica, sob a modalidade de equalização de juros.

A emenda de Hugo Leal garante aos produtores rurais e a micro empreendedores, pessoas físicas ou jurídicas, participarem da subvenção econômica do BNDES através da União, sob a modalidade de equalização de taxas de juros, em operações de financiamento, contratadas até 31 de dezembro de 2011, destinadas a capital de giro e investimento.

Sob a forma de equalização da taxa de juros – subsídio do governo concedido aos produtores brasileiros – onde a diferença entre a taxa de juros praticada no mercado financeiro e a taxa paga pelo produtor tem a diferença subvencionada pelo governo, os juros dos agricultores ficam menores do que os do mercado.

O objetivo do deputado Hugo Leal ao apresentar a emenda foi garantir que empreendedores de todas as atividades econômicas com dificuldades em função de desastres naturais, sejam atendidos pelo financiamento. “A minha maior preocupação era com os produtores rurais e os do ramo do agronegócio que não estavam incluídos nos benefícios das linhas de crédito  do BNDES. É medida emergencial amenizar os prejuízos dos estragos causados pelas chuvas na Região Serrana do nosso Estado. A economia local precisa de suporte e incentivos. Principalmente os produtores rurais, que foram diretamente afetados com inestimáveis perdas de suas produções, precisam ser ajudados


Emenda garante a produtores rurais acesso a financiamento do BNDES

segunda-feira, 14 março, 2011

 Publicado em 13/03/2010

 


Deputado vistoria áreas atingidas pelo temporal

segunda-feira, 14 março, 2011

 Publicado em 12/03/2011


Hugo Leal conversa com moradores de Corrêas e fala da política de prevenção contra as enchentes

segunda-feira, 14 março, 2011

Durante o Carnaval, o deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ) esteve em Corrêas nas áreas atingidas pelas últimas chuvas, prestando solidariedade e conversando com os moradores. Membro da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que acompanha os desastres ocorridos pelas chuvas na Região Serrana e as medidas adotadas pelos órgãos públicos, Hugo Leal ouviu as reivindicações dos moradores. Eles apontaram possíveis soluções para que problemas como este – quando a água da chuva resultou no transbordamento do rio Santo Antônio, invadindo inúmeras casas da localidade –­ não voltem a se repetir.
 
Defendendo a prevenção como melhor medida para situações como esta, o deputado afirmou que é preciso um plano de contingência. “Precisamos de prevenção e plano de contingência. Qual a ação que foi feita para o rio Santo Antônio? Infelizmente, o que estava programado não aconteceu. Este trabalho é de política pública. Desassorear e recuperar as margens, preservando o leito do rio, pode se evitar muitas tragédias. Mas para que isso aconteça é necessário um planejamento de ações e a efetivação das mesmas”, ponderou Leal.
 
Investimento dos governos com medidas de proteção contra riscos naturais, proteção das encostas; desassoreamento, limpeza e drenagem dos rios; manutenção e instalação de galerias pluviais que melhoram o escoamento das águas das chuvas; plano de habitação, com levantamento das áreas de risco e reordenamento das ocupações irregulares, são medidas de prevenção com resultados positivos, defendidas por Leal. “Precisamos de um sistema de proteção contra as cheias. Os prejuízos materias podem ocorrer, mas as mortes precisam ser evitadas”.
 
O deputado alerta que os desastres naturais no Brasil eram raros, mas agora estão sendo frequentes. “Nós não temos como mudar a natureza. Ela está nos alertando das agressões que vem sofrendo e nos dando o retorno: não desviem o leito dos rios, não desmatem, não joguem lixo nas encostas. Não podemos mudar a natureza, mas podemos amenizar os estragos produzidos por ela”.

 


Lei Seca

quinta-feira, 10 março, 2011

 Publicado em 10/03/2011